História dos Bairros do Rio de Janeiro: Ilha do Governador

 In

Você sabia que o bairro mais antigo do Rio de Janeiro é a Ilha do Governador?

A Ilha do Governador já chegou a ser frequentada por D. João VI, que ia até o local caçar em coutada (um local destinado para pastagem de gado). Já são 453 anos de história para contar e de uma baía pra se admirar.

Como surgiu o bairro

A Ilha do Governador, ainda chamada de Ilha de Paranapuã, nome dado por seus habitantes nativos, os índios Temiminós, foi descoberta em 1502 por navegantes portugueses. O termo Paranapuã significa “colina do mar”, por sua junção paranã, “mar” e apuã, “colina”.

Na época de sua descoberta, a Ilha do Governador, também era chamada de Ilha dos Maracajás, que era uma espécie de grandes felinos habitantes do local.

A Ilha não é propriamente um bairro, trata-se de uma região administrativa da Zona Norte do Rio de Janeiro, onde são pertencentes do local 15 bairros que vão desde Bancários a Zumbi.

Gato-maracajá – descendente dos maracajás habitantes da ilha em 1502.

O nome Ilha do Governador

Em 05 de setembro de 1567, 62 anos após a sua “descoberta” pelos colonizadores portugueses, a Ilha de Paranapuã muda de nome, passando a se chamar Ilha de Governador. Nome dado em alusão ao então governador-geral do Estado do Brasil, Mem de Sá. Mais tarde, Sá doa a Ilha ao seu então sobrinho Salvador Correia de Sá (Governador e Capitão-geral da Capitania Real do Rio de Janeiro – 1568 a 1572). Correia de Sá então transformou o local em uma fazenda de cultivo de cana-de-açúcar, exportando para a Europa durante três Séculos, do Século XVI até XVIII.

Uma curiosidade a respeito da Ilha do Governador, é que além de ser o bairro mais antigo do Rio de Janeiro, também é a maior ilha da baía de Guanabara.

O desenvolvimento do grande bairro

Não há dúvidas de que a Ilha do Governador é um dos bairros mais importantes do município fluminense, e o seu desenvolvimento contribuiu e ainda contribui para o crescimento do Rio de Janeiro.

Com a ligação da Ilha ao continente, era questão de tempo desenvolve-se. A partir de 1838, o seu acesso ganhou uma forma mais rápida com as embarcações a vapor, substituindo os antigos barcos à vela. Os novos meios de transporte, mais modernos, começaram atracando na Freguesia e mais tarde no Galeão e na Ribeira. A expansão do desenvolvimento permitiu, ainda, que fosse criada uma linha interna de bondes, fazendo diariamente o trajeto entre Cocotá até o bairro da Ribeira.

Os bairros dentro do grande bairro

A Ilha do Governador, com um total de área de 40,81 quilômetros quadrados, como bem já falamos, é uma região administrativa que pertence a zona norte da cidade do Rio de Janeiro. A localidade possui uma população estimada em 400 mil habitantes e é composta por 14 bairros, vejamos:

  • Cacuia – na língua indígena significa “Morro da Cuia”;
  • Cidade Universitária – conjunto aterrado de sete ilhas onde se instalou o campus principal da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
  • Cocotá – traduzido da língua-mãe indígena, significa “roça”;
  • Freguesia – nome dado em referência ao engenho Freguesia de Jorge de Sousa que ali existia, pertencente a Jorge de Sousa, conhecido como “O Velho”;
  • Galeão – nome originado a partir da embarcação Galeão do Padre Eterno, considerada na época a maior do mundo;
  • Jardim Carioca – bairro construído a partir do loteamento existente no local, em 1955;
  • Jardim Guanabara – bairro inaugurado em 1936 e projetado para classes nobres, com ruas e construções de alto padrão;
  • Moneró – leva o nome em homenagem ao seu antigo proprietário, o fazendeiro italiano Francisco Moneró;
  • Pitangueira – significando “afogado” na língua indígena;
  • Portuguesa – nome dado em decorrência da região abrigar à Associação Atlética Portuguesa;
  • Praia da Bandeira – nome originário a partir da bandeira hasteada no forte da Ponta do Tiro;
  • Ribeira – no local existia a Fazenda Ribeira, ainda no Século XIX, que deu o nome ao bairro;
  • Tauá – não diferente de outros bairros da região, pela ligação história com o povo indígena, o nome original da língua nativa significa “barro vermelho”;
  • Zumbi – devido ao seu formato sinuoso, o bairro fora batizado com o nome por significar “os quadris femininos”.

Acesso à Região Administrativa

A Ilha do Governador pode ser acessada através das águas ou por terra.

A rota das embarcações faz o trajeto entre a Praça XV e o bairro de Cocotá. Já quando citamos a rota por terra, três vias nos colocam dentro do bairro, são elas:

  • Linha Amarela: ligando a Barra da Tijuca à Ilha do Governador;
  • Linha Vermelha: a Ilha ainda é cortada pela via que é a principal rota entre a Baixada Fluminense e o Centro do Rio de Janeiro:
  • Avenida Brasil: principal via da região, com 53 km de extensão, fazendo a junção da zona oeste à região central do município, também dá acesso ao bairro.

A construção do aeroporto internacional do Galeão

Em 1924, a Ponta do Galeão recebe a Escola de Aviação Naval, originada anteriormente na Ilha das Enxadas, território vizinho.

A Ponta do Galão abrigou a primeira fábrica de aeronaves do país, a Fábrica Nacional de Aviões, fabricante da lendária aeronave “Muniz”. Ali foram fabricadas, também, as suas versões 5, 7 e 9, além das construções de quartéis e alojamentos.

Outras indústrias aeronáuticas se alocaram no Galeão, produzindo aeronaves, sob contrato com empresas estrangeiras, para uso militar e civil. Uma outra curiosidade acerca do local são os primeiros Correios Aeronavais, iniciando seus serviços ainda no ano de 1935.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o aeroporto foi utilizado como campo de pouso para aviões internacionais, além de base aérea para a FAB (Força Aérea Brasileira). Somente a partir de 1945 que o Galeão se tornou, oficialmente, o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.

Curiosidades do aeroporto

 Você sabia que no Brasil, o Aeroporto do Galeão foi o primeiro a receber um voo comercial de um jato supersônico? O fato aconteceu há 45 anos com o histórico Concorde, supersônico da Air France que decolou, em 21 de janeiro de 1976, de Paris com destino ao Rio de Janeiro. O Concorde foi o primeiro avião de passageiros a voar em linha regular acima da velocidade do som. O Galeão está na história da aviação mundial, consequentemente a Ilha do Governador.

Fontes: Wipédia; Ilha Notícias; Multirio.rj