Implante essa ideia

 In

Por Lilian Neves

Diferentes dispositivos, sensores e softwares podem estar conectados em várias localizações de um condomínio (cisternas, jardins, portões, áreas comuns, ativos e diversas outras instalações, proporcionando aos gestores uma gama de informações relevantes, acionando equipamentos remotamente e controlando acessos e sistemas.

É a Internet of Things, IoT, a serviço da eficiência, segurança e otimização de custos condominiais.

Precisamos perceber, contudo, a diferença entre automação e a internet das coisas. A automação é um sistema em que os processos operacionais são controlados e executados por meio de dispositivos mecânicos ou eletrônicos, substituindo o trabalho humano. Como exemplo, poderíamos citar os sensores de presença que acendem a iluminação dos andares, a abertura eletrônica de portão por controle remoto, acionamento de bombas por bóias elétricas para enchimento de reservatórios de água.

Com a internet das coisas, vamos além, isto é, sem abrirmos mão dos benefícios da automação, em função, sobretudo, da conectividade dos objetos, há a geração de informações relevantes e não somente o funcionamento automático das coisas.

Vejamos alguns exemplos:

  • Sensor de umidade para jardins, permitindo que por uma alerta de nível preestabelecido, seja acionada automaticamente a irrigação;
  • Etiquetas RFID (Radio Frequency Identification) no inventário de ativos do condomínio e nos objetos das áreas comuns, identificando e controlando eventuais retiradas;
  • Monitoramento e alertas de manutenção preventiva ou corretiva de calhas, portões, vazamentos de água ou gás;
  • Controle de iluminação e splits de áreas comuns;
  • Monitoramento de CFTV na entrada do condomínio, emitindo alerta aos moradores de atenção caso algum veículo ou suspeito seja identificado;
  • Controle de nível de caixas d’água e fornecimento de energia com emissão de alertas;
  • Parada de elevadores e alerta à empresa de manutenção com informações subsidiárias sobre a parada e existência de pessoas presas;
  • Códigos de acesso para os visitantes cadastrados, podendo acessar o condomínio por um aplicativo no celular e ser avisado o condômino por mensagem;
  • Leituras de água e gás individuais, no caso de centrais de GLP, feitas em tempo real, permitindo o melhor gerenciamento aos condôminos dos consumos/gastos.

Em suma, as empresas de tecnologia da informação e automação estão disponibilizando e ampliando, a cada dia, a oferta de softwares e aplicativos relacionados à IoT.

Acompanhe essa tendência e implante dessa ideia: Seu condomínio inteligente e antenado no que dizem as “coisas” condominiais.