Prática de compostagem transforma lixo em adubo

 In

flaticon.com

O seu condomínio pode ser mais ecológico com investimentos pontuais que se tornam economia a curto, médio e longo prazo. É possível transformar lixo orgânico em adubo da melhor qualidade para o seu jardim e também para as plantas das áreas comuns. A iniciativa contribui para a preservação do planeta, aproveita integralmente os restos de alimentos e ainda reduz consideravelmente o lixo produzido pelos moradores. Além de tudo pode reduzir os custos de coleta de lixo que, conforme a lei municipal nº 3273/2001, grandes produtores, como os condomínios, devem realizar coleta particular.

Esta “transformação” é feita através da “compostagem”, um processo que acelera a decomposição dos resíduos orgânicos, como por exemplo: casca de ovos, grãos, sobras de frutas e legumes em geral, podas de jardim, serragem, etc. De acordo com Alexandre Monteiro, Engenheiro Agrônomo e paisagista, “Este processo recupera os nutrientes existentes nos restos orgânicos e disponibiliza um composto que serve de adubo para as plantas”.

“Além de recuperar os nutrientes dos resíduos orgânicos e trazê-los de volta ao ciclo natural, tornando assim a terra mais rica, seja para a jardinagem ou agricultura, reduzimos de forma considerável o lixo que geramos diariamente, o que é muito importante, se lembrarmos dos malefícios dos lixões e aterros em nossas cidades, como mau-cheiro, liberação de gás metano (gás de efeito estufa) e contaminação do solo e da água pelo chorume”, conclui Alexandre.

Como funciona?

Encontramos o passo a passo do processo para que você entenda como se dá e quais os principais pontos. É importante lembrar que existe uma lista de resíduos apropriados para tal prática e recipientes específicos. Informe-se bem com especialistas antes de realiza-la.

  1. Cobre-se o fundo da primeira caixa (de cima) com uma camada de 5 à 7 cm de altura de húmus com minhoca.
  2. Coloca-se em um dos cantos o material orgânico e então coloca-se um pouco de material vegetal seco (serragem, por ex.) cobrindo totalmente com a serragem o que evita atrair mosquitos e exalar odores.
  3. Espera-se que leve 30 dias para que se encha a primeira caixa, assim que isso acontecer deve-se fazer a troca da primeira caixa pela segunda (mudando as posições). Na segunda caixa vai apenas o húmus ou a terra (sem minhocas), aí só repetir o procedimento.
  4. Os próximos 30 dias em que a segunda caixa vai sendo cheia, o material da primeira vai concluindo o processo e no final do período pode se fazer a retirada do adubo (húmus) e a inversão novamente das caixas e assim por diante.
  5. É interessante que haja uma torneira para retirar o adubo líquido que deve ser diluído na água para fazer a rega das plantas. Para retirar o húmus, a ideia é coletar apenas o material, sem as minhocas para que elas continuem o ciclo. Então sugere-se levar ao sol para que as minhocas desçam e se possa retirar o húmus sem removê-las.

Apoio especial para quem é Protel

Os condomínios administrados pela Protel podem contar com a consultoria especializada do Engenheiro Agrônomo Alexandre Monteiro, que tem vasta experiência em paisagismo, jardins e cuidados com plantas. Responsável pela implantação e manutenção de diversos jardins projetados por Roberto Burle Marx, seu atendimento poderá indicar aspectos que irão deixar as áreas verdes sempre harmônicas e convidativas, além disso, poderá apontar práticas para gerar economia e sustentabilidade, como o viveiro de mudas e as práticas de compostagem.

Acesse: www.emporiodasplantas.com.br ou entre em contato: 21 99997-1532.